Tags : Marxismo

Os bolcheviques e a juventude

Há uma vasta literatura sobre a relação entre juventude e o marxismo revolucionário, a começar pelos bolcheviques. Como o peso da juventude cresce no curso do século XX, a reflexão sobre este tema ganha cada vez mais destaque nas elaborações da IV Internacional, do próprio Trotsky e de dirigentes trotskistas como Nahuel Moreno, Ernest Mandel […]Leia mais

Breves apontamentos sobre juventude de uma perspectiva marxista

Há muito debate sobre o significado do conceito de juventude. Cada área do conhecimento humano dá uma definição com seu recorte metodológico e com as suas delimitações. Assim temos definições meramente psicológicas, antropológicas/culturais, biológicas ou sociológicas, etc. Apesar disso, um fato inequívoco do qual podemos partir é que se trata de um conceito construído historicamente […]Leia mais

Sobre autonomia e engajamento artísticos hoje

Arte e política: uma questão superada? Hoje em dia é praticamente uma verdade universalmente aceita a autonomia da arte em relação à política, da mesma maneira que é sempre de bom tom ser afirmado o descompromisso com a realidade social que pressupõe a liberdade artística. A primeira coisa a ser dita é que embora a […]Leia mais

O fim dá URSS prova que o socialismo não da

É muito difundida pelos liberais, conservadores, a grande imprensa e a burguesia, a ideia de que o fim da URSS prova que o socialismo não deu certo e por isso estaria sepultado para sempre. Para tentar fundamentar, explicam a queda dos Estados operários burocratizados do leste europeu como consequência das contradições e limites do próprio […]Leia mais

Caio Prado Júnior: sua obra, seus críticos, seus limites

As posições historiográficas do intelectual brasileiro Caio Prado Júnior1 certamente tiveram um impacto importante e são reivindicadas por um amplo setor, que vai do meio acadêmico a uma gama de intelectuais e militantes que se denominam “de esquerda”. No entanto, algumas questões merecem ser assinaladas: Qual foi sua principal contribuição e mérito? Até que ponto […]Leia mais

A questão colonial e a Terceira Internacional

A elaboração de Marx e Engels deixaram pistas importantes para os marxistas trabalharem a questão nacional e colonial, ainda que não fosse uma concepção acabada do processo revolucionário mundial. Ficou uma extensiva análise da ocupação colonial pelo imperialismo nascente, como vimos anteriormente, ficou uma estratégia: “não pode ser livre um povo que oprime outro” e […]Leia mais

Capitalismo, corrupção e poder público: uma análise marxista

O tema da corrupção é tratado, pelo senso comum e pelo pensamento conservador, como o centro das mazelas sociais e como um problema puramente ético. Já a esquerda, a seu turno, parece desdenhar a questão, tomando-a simplesmente como uma pauta conservadora – e essa postura esquiva iniciou-se, não por acaso, com o caso do Mensalão: […]Leia mais

Apontamentos para uma visão marxista da colonização hispano-lusitana

A discussão sobre o caráter da colonização e as relações de produção originadas na América, após a chegada dos europeus, é tão antiga quanto tortuosa. Foi feudal, foi capitalista, nenhuma destas? A hostilidade da polêmica, frequentemente emaranhada na própria definição de conceitos e atravessada pelo debate sobre a transição do feudalismo ao capitalismo na Europa1, […]Leia mais

Indicações sobre as origens teóricas e históricas do pós-modernismo

No curso do século XX e, em particular, nestas últimas décadas, emergiram uma série de correntes de pensamento pretensamente originais, em sua maior parte denominadas pós- ou neo- alguma coisa. Este quadro torna obscuro a compreensão e correta caracterização das atuais vertentes do pensamento contemporâneo. Pensamos que é infrutífero o método que procura classificar os […]Leia mais